quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Era uma vez
Um gato maltês
Tocava piano
E falava francês
 
Queres que te conte outra vez?
Mary Paints

domingo, 27 de janeiro de 2013

Ler+ para dormir melhor...

Isabel Hojas

E a chuva que não para!

Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento

Tem chuva nele a escorrer.

Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.

Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não.
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.


Fernando Pessoa 
 IKER AYESTARAN

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

As meninas do 6ºF da Brigada Verde!


Eleições na escola: Eleição da lista que irá representar o nosso Agrupamento na sessão regional no Parlamento dos Jovens.


Sessões de trabalho: Metas de aprendizagem, Novos Programas de Português e a articulação entre os 1º e 2º ciclos na BE.


PREVENÇÃO RODOVIÁRIA com os agentes da ESCOLA SEGURA.




A Associação de Pais & Encarregados de Educação do nosso Agrupamento de Escolas promoveu uma ação de sensibilização sobre as Novas Substâncias Psicoativas. A referida sessão decorreu na sala polivalente da Escola André de Resende no dia 16 de Janeiro, pelas 18horas e os oradores convidados foram a Dra. Maria José Galo e o Dr. Paulo Jesus.





quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Terão sido estes os livros que devoraram o meu pai?


© Justin Paget/Corbis.

Parlamento dos Jovens, «Vencer a crise» com o deputado Pedro Lynce!

          O programa Parlamento dos Jovens é organizado pela AR, em colaboração com outras entidades, com o objetivo de promover a educação para a cidadania e o interesse dos jovens pelo debate de temas de atualidade. Culmina com a realização de duas Sessões Nacionais na AR, preparadas ao longo do ano letivo, com participação de Deputados, designadamente da Comissão de Educação e Ciência, órgão parlamentar responsável pela orientação do programa. Todas as Escolas do 2º e 3º ciclos do ensino básico e do secundário são convidadas a participar.




quinta-feira, 10 de janeiro de 2013


84 anos, é obra!

         No dia 10 de janeiro de 1929 nasce Tintin, um repórter fiel aos valores intemporais da verdade, da justiça, da prevalência do bem sobre o mal, da amizade e da lealdade, que atravessa um mundo em mudança, acompanhando e contribuindo com a sua intervenção para essa mesma mudança.
         O seu autor, Hergé, criou os álbuns de Tintim que são de uma precisão incrível, com todos os detalhes minuciosamente cuidados.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Alimento para o cérebro: leitura!


Voltámos cheios de energia! Cantar as Janeiras!

CANTAR AS JANEIRAS é uma tradição bem portuguesa. Ocorrem em janeiro, o primeiro mês do ano, daí o seu nome. Este mês era o mês do deus Jano, o deus das portas e da entrada e porteiro dos céus. Os romanos ambicionavam que ele os protegesse e repelisse os maus espíritos e invocavam-no especialmente nas alturas de Janeiro. Então, o Imperador Caio Júlio César (13 de Julho, 100 a.C.–15 de Março, 44 a.C.) estabeleceu as datas limites deste mês e que o ano deveria começar nesta época. A partir desta altura tornou-se tradição os romanos saudarem o início de um novo ano e aclamarem Jano com festejos, aproveitando também para se cumprimentarem uns aos outros, daí surgiu a tradição das "Janeiras". Foi esta tradição que o Cristianismo, não a conseguindo eliminar, adaptou acrescentando-lhe os autos pastoris que evocam a cena do nascimento de Jesus e episódios a ele ligados.

A tradição é que vizinhos, amigos, familiares, normalmente jovens e alguns não tão jovens, se agrupem e, na Noite de Reis (6 de janeiro), por vezes alastrando-se a outros dias do início do ano, andem pelas ruas da terra, cantando de porta em porta e desejem às pessoas um próspero Ano Novo. Habitualmente, alguns elementos tocam instrumentos tradicionais como a pandeireta, os ferrinhos (triângulo), o tambor, a zabumba, o bombo, a flauta, a viola, o cavaquinho, o acordeão e mais raramente a gaita-de-fole. As músicas utilizadas são tradicionais, embora a letra possa variar de terra para terra e também conforme o grupo. Terminada a canção numa casa, espera-se que os donos ofereçam as chamadas Janeiras: castanhas, nozes, alguns frutos, enchidos, vinho, doces da época natalícia. No final do percurso, o grupo reúne-se e faz um convívio onde todos juntos comem aquilo que conseguiram, ou então, divide-se por todos e cada um segue o seu caminho.