segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

«Aos que amam» por Margarida Pedrosa


     Amem-se um ao outro, mas nunca façam desse amor uma prisão, um dever, um impedimento. Que o vosso amor seja como um mar azul, límpido, translúcido entre as vossas duas almas. Aproveitem a vossa alegria, cantem, dancem, porque o sentimento que vos une é nobre, belo e único.

      Que a vossa união nunca represente a perda de liberdade e a perda de sonhos  pois assim serão sempre seres “amputados” … Se repararem, um bandolim apesar de ter cordas que tocam a mesma nota, cada uma toca na sua vez, o som de uma não se sobrepõe ao da outra, estão livres, só assim a melodia poderá ser perfeita, nelas vibra a mesma música, mas cada uma delas é-o por si só.
Que o amor que vos une eleve os vossos corações a lugares belos que em sonhos nunca teriam visitado, que a força de cada um sirva para impulsionar o outro para que se consiga erguer ainda mais alto.
O Amor necessita de liberdade, cada um terá que ter espaço para poder ”esticar as suas próprias asas” e até levantar voo. Juntos sim, mas nunca demasiado perto. Vejam, a oliveira e o pinheiro necessitam do seu próprio espaço para que possam crescer saudáveis. Que cada um se eleve não esquecendo o seu parceiro de caminhada. A sombra de um nunca poderá tapar a do outro, se assim for, não será amor…
O Amor é uma união sagrada. Primeiro foi só um olhar, depois uniram-se e o seu fim é a Eternidade. Que os erros do passado e do presente sejam aceites, não sejam escondidos, pois só em verdade se pode viver e amar.
O Amor, esse fogo sagrado, nunca se poderá deixar extinguir, se isso acontecer, não há nada que o volte a acender.
O Amor verdadeiro visita-nos só uma vez na vida como uma bênção, quando o encontrarem não o deixem partir. Ele ir-nos-á permitir sorrir todos os nossos sorrisos, mas também chorar todas as nossas lágrimas.
 Amem, mas quando amarem, amem profundamente.
Acreditem que a vossa vida será outra!

Cai a Chuva Abandonada

Cai a Chuva Abandonada

Cai a chuva abandonada 
à minha melancolia, 
a melancolia do nada 
que é tudo o que em nós se cria. 

Memória estranha de outrora 
não a sei e está presente. 
Em mim por si se demora 
e nada em mim a consente 


do que me fala à razão. 
Mas a razão é limite 
do que tem ocasião 


de negar o que me fite 
de onde é a minha mansão 
que é mansão no sem-limite. 
Ao longe e ao alto é que estou 
e só daí é que sou. 

Vergílio Ferreira, in Conta-Corrente 1
Alice Moisset

E se nevasse?

Balada da neve 


Batem leve, levemente, 
como quem chama por mim. 
Será chuva? Será gente? 
Gente não é, certamente 
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania: 
mas há pouco, há poucochinho, 
nem uma agulha bulia 
na quieta melancolia 
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente, 
com tão estranha leveza, 
que mal se ouve, mal se sente? 
Não é chuva, nem é gente, 
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía 
do azul cinzento do céu, 
branca e leve, branca e fria... 
- Há quanto tempo a não via! 
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça. 
Pôs tudo da cor do linho. 
Passa gente e, quando passa, 
os passos imprime e traça 
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais 
da pobre gente que avança, 
e noto, por entre os mais, 
os traços miniaturais 
duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos... 
a neve deixa inda vê-los, 
primeiro, bem definidos, 
depois, em sulcos compridos, 
porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador 
sofra tormentos, enfim! 
Mas as crianças, Senhor, 
porque lhes dais tanta dor?!... 
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza, 
uma funda turbação 
entra em mim, fica em mim presa. 
Cai neve na Natureza 
- e cai no meu coração.

Augusto Gil, Luar de Janeiro 

www.deenickerson.com

E vento!

www.mariagiron.com

Dança do Vento

O vento é bom bailador, 
Baila, baila e assobia. 
Baila, baila e rodopia 
E tudo baila em redor. 
E diz às flores, bailando: 
- Bailai comigo, bailai! 
E elas, curvadas, arfando, 
Começam, débeis, bailando. 
E suas folhas, tombando, 
Uma se esfolha, outra cai. 
E o vento as deixa, abalando, 
- E lá vai!... 
O vento é bom bailador, 
Baila, baila e assobia, 
Baila, baila e rodopia, 
E tudo baila em redor. 
E diz às altas ramadas: 
Bailai comigo, bailai! 
E elas sentem-se agarradas 
Bailam no ar desgrenhadas, 
Bailam com ele assustadas, 
Já cansadas, suspirando; 
E o vento as deixa, abalando, 
E lá vai!... 
O vento é bom bailador, 
Baila, baila e assobia 
Baila, baila e rodopia, 
E tudo baila em redor! 
E diz às folhas caídas: 
Bailai comigo, bailai! 
No quieto chão remexidas, 
As folhas, por ele erguidas, 
Pobres velhas ressequidas 
E pendidas como um ai, 
Bailam, doidas e chorando, 
E o vento as deixa abalando 
- E lá vai! 
O vento é bom bailador, 
Baila, baila e assobia, 
Baila, baila e rodopia, 
E tudo baila em redor! 
E diz às ondas que rolam: 
- Bailai comigo, bailai! 
e as ondas no ar se empolam, 
Em seus braços nus o enrolam, 
E batalham, 
E seus cabelos se espalham 
Nas mãos do vento, flutuando 
E o vento as deixa, abalando, 
E lá vai!... 
O vento é bom bailador, 
Baila, baila e assobia, 
Baila, baila e rodopia, 
E tudo baila em redor! 

Afonso Lopes Vieira, in Antologia Poética

Está frio!

Marie Lafrance



«Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria. 
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão.»

Mario Quintana

Dia de São Valentim, foi ontem

           
           A história do Dia de São Valentim remonta ao século III d.c. O Imperador Romano Claudius II proibiu os casamentos, para assim angariar mais soldados para as suas tropas. Um sacerdote da época, de nome Valentim, desrespeitou este decreto imperial, realizando casamentos. O segredo foi descoberto e Valentim foi preso, torturado e condenado à morte. Antes conseguiu enviar e receber algumas cartas ainda na cela, o que originou a troca de cartões neste dia, os chamados «valentines».

         A nossa BE fez de pombo correio e as cartas redigidas pelos nossos apaixonados serão entregues «PMP» aos respetivos destinatários! 



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Os apurados para a primeira fase do concurso «Leituras na planície»

5º B António Sequeira
         Tomás Fialho

5º C Inês Riço
        Sara Nascimento


5º E  Daniela Fialho
            Tiago Figueira 

5º F Margarida Cavaco 
        Miguel Grade

5º G Alice Oliveira 
           Filipa Cristiano  

6º A :  Gabriela Amador                  
           Joana Sarkar

6º C Diogo Miranda
        Luís Neves


6º G    Miguel Maria Grilo                  
           Miguel Godinho Grilo

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

No dia 9 de fevereiro de 2016, comemora-se o dia da Internet Mais Segura.

www.seguranet.pt


No dia 9 de fevereiro de 2016, comemora-se o dia da Internet Mais Segura.

A atividade é importante para introduzir, ou reforçar este tema entre os alunos, bem como, para consolidar os conceitos que, eventualmente, terão sido, ou virão a ser, abordados na sala de aula.

Os professores envolvidos na sua realização, também sugerem uma visita aos seguintes endereços de sites, para uma navegação mais segura:

·         Google de Segurança Familiar - Google  [link]
·         Projeto Comunicar em Segurança - PT  [link] 
·         Projeto Internet Segura [link] 
·         Blog MiúdosSegurosNa.Net  [link] 
·         Jovens seguros on-line  [link] 
·         Comissão Nacional de Proteção de Dados [link]

Questionários

·         Questionário online que analisa 11 situações em que pode ficar sujeito ao roubo de identidade. [Questionário]

·         Pequeno questionário que possibilita testar os seus conhecimentos e o seu nível de consciencialização sobre um conjunto de tópicos relativos à forma como utiliza o computador e os serviços da Internet. [Questionário]

·         Questionários para alunos com menos e mais de 12 anos que chamam atenção para os benefícios educacionais e recreativos da Internet e, simultaneamente, promovem a consciencialização para os riscos associados à sua utilização. [Questionário]

·         Teste os seus conhecimento respondendo a questões relacionadas com a segurança das informações, destinadas a alunos com idades compreendidas entre os 7 e os 14 anos. [Questionário]

Vídeos

·         Ensinar segurança on-line às crianças [vídeo]

·         Proteger a sua privacidade e informações pessoais on-line [vídeo]

·         Defesa contra vírus e worms [vídeo]

·         Três coisas que pode fazer para evitar spyware [vídeo]

·         O que deve saber sobre esquemas de phishing [vídeo]


Jogos

·         Jogos para o 1º e 2º ciclos [jogos]

·         Jogos para o 3º ciclo e secundário [jogos]


·         Pais e Educadores [jogos]