quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

E lá continuam as obras... de vento em popa!


O 1º Ciclo em poesia... Faça lá mais poemas!

O Mar

O mar é belo
Como uma flor a nascer
E há muitos animais
Lá a viver

O mar está cheio
De sentimentos para nos dar…
Muitos nos fazem rir
E muitos nos fazem chorar

O mar é negro
Ao luar
Como o satélite da terra
Sempre a brilhar

O mar tem coisas
Para nos mostrar
E muitos segredos
Para desvendar…

Beatriz Casas Novas
4ºB EB do Rossio




O meu animal de estimação

Eu tenho um gatinho muito querido
Chamado Zé Leão
Ele é muito peludo
E está sempre no meu coração!

Ele é muito meu amigo
E gosto dele até mais não
Dou-lhe sempre a ração
É um óptimo amigo do coração

Eu amo aquele gato
Nunca o vou esquecer
É um bom amigo
E com ele vou continuar a viver!

Carolina Salgueiro
4ºano EB do Bairro da Câmara





O meu hamster

Eu adoro o meu hamster,
Ele é muito querido!
Como gosto tanto dele,
É o meu preferido!

Ele pode ser pequeno
Mas é um grande guloso!
E como a minha mãe costuma dizer,
Ele é fabuloso!

Eu gosto tanto dele,
Porque ele é diferente!
Ele também é feliz,
Está sempre contente!

Carolina Margarido
4ºano EB do Bairro da Câmara




O meu cão

O meu cão é um belo animal
De estimação…é muito brigão e
Brincalhão como um cão e
Tem muitos irmãos!

E ele pode não ter mãos mas
Sabe dar um dá cá mais cinco e quando
Brinco com ele, corre atrás de mim
Como o cão do Tintim.

Ele gosta de mim de uma
Maneira sem fim
Quando lhe dou de comer
Vem logo para perto de mim!

Guilherme Dias
4ºano EB do Bairro da Câmara



O meu antigo cão

Eu dantes tinha um cão
Que era muito divertido
Brincava muito comigo
Mesmo depois de ter comido!!

Levava-o a passear
Muitas, mas muitas vezes
Até ao fim do quarteirão
Todos, mas todos os meses.

À hora do almoço
Não o podia incomodar
Enquanto ele comia
Ia eu também almoçar.

Gonçalo da Rosa

4ºano EB do Bairro da Câmara




                    Um, dois, três… 
Vamos brincar.
Um, dois, três;
Fui de férias para o Gerês.
Quatro, cinco, seis;
Apanhei 5 réis
Sete, oito, nove;
E fiz uma bela pose
Dez, onze, dose;
E ainda fiz um doce
Treze, catorze, quinze;
Aprendi muitos números…!
Que feliz fiquei!
Um, dois, três…



Beatriz Pinto
3º ano
Bairro da Câmara


Quero voar


Eu sou leve,
Leve como o vento.
Sou como um balão, 
Balão de ar quente.
Sou suave,
O vento me arrasta. 
Gostaria de ser mais forte,
Resistente...

Sabem quem eu sou?
Eu sou a folha 
Leve, suave…
Que voo pelo ar
Voo sem fim.


Já percorri o mundo 
O mundo a voar.
Livremente pelo ar,
Vi planícies. 
O céu e os mar.
Que bom que é,
Que bom que é voar!



João Miguel Chitas
Escola bairro da Câmara
3 ano


Quero voar

Bing, bong,
Faz a bola a saltitar.
E o João pensa:
— Gostava tanto de voar!

Com asas finas,
Rasgaria o céu.
Lá iria ele,
Sempre de chapéu.

Lá em cima,
Se soubesse voar,
Poderia sempre,
sempre sonhar.

Mas enfim,
Que poderia ele fazer?
Largar tudo?
Que mais devia saber?



Tomás Félix Lazera Rosa
3º ano




A menina


Vi uma menina
Ao pé do mar
Que estava
A rimar

Com ela estavam
As suas bolinhas
Lacinhos
E muitas bonequinhas.

Mas não se iludam
Era pior do que um
Um ladrão
Com a sua beleza
Roubou-me o coração.


Pedro Santos 
EB Bairro da Câmara
3º ano


A solidão do meu coração

Esqueci-me dum livro.
Minha mãe se zangou.
Fiquei triste,
A chorar.
Entristecido. 
Fiquei triste,
Magoado,
Fiquei sentido,
Em baixo, no meu coração!...
E não queria ir à escola.


João Miguel Chitas
Escola da Câmara 3 ano



Aqui e agora


Aqui e agora
Dança uma galinha
Aqui e agora
Canta uma patinha.

Aqui e agora
Arranja-se um pavão
Aqui e agora
Rouba um ladrão.

Aqui e agora
Desenha-se no papelão
Aqui e agora
Rasga-se cartão.

Aqui e agora
Fecha-se uma boca
Aqui e agora
Há uma grande confusão!


Pedro Santos
EB Bairro da Câmara
3º ano




Leve, leve como o vento


Leve como o vento
Sou eu o vento de algodão!

Sou eu o algodão, que vejo
Todas as manhãs o sol a nascer.

E que na primavera 
Me enfeitam de flores

No inverno sou trovões, sopro as árvores,
Faço chuva, que tristeza!

No verão o meu coração
Explode de tanta ternura.

Afinal quem eu sou?
Sou o vento de algodão.

Leve, leve como o vento

Francisco Miguel Borges Cabeçana



Magia

Há magia no jardim
Com os pássaros a cantar
Há magia numa casa
Com o bebé a falar

Há magia em todo o lado
Com as pessoas a dançar
Há magia na escola
Com os alunos a brincar

Há magia no parque
Com os meninos a jogar
Há magia no mundo
Com as pessoas a amar.

Francisco Coelho
Escola do Bairro da Câmara 
3º ano


O Dia que Passa

Lá estava na escola
 e o dia passava…
e melhorava…
o Sol a brilhar
e o dia continuava
e eu só rimava…
uns olhavam
outros cantavam
e o dia passava…
e eu gostava
que o dia parasse
de continuar.

Rafael Teixeira
3º ano
Bairro da Câmara



Quero voar

Quero voar,
Tão alto no céu.
Ir longe, muito longe.
Alcançar amigos.
                                                                                                                                                                       Quero voar,
Ver o pôr – do- sol.
Nas nuvens dormir,
E sonhar, sonhar…

Quero voar,
Contas faze,.
Poemas construir,
E flores desenhar.

Quero voar,
E bem alto dizer
Que quero viver!
Que quero brincar…


Beatriz Pinto
3º ano Bairro da Câmara



 Quanto dá? 


Conheço uma pessoa curiosa 
Pois está sempre a perguntar: 
-Quanto dá por esta ovelha? 
-Quanto dá por este cavalo? 

Com estas perguntas 
Mostra a todos 
Que o campo e o negócio 
Eram a sua maior preocupação.

Tinha dinheiro? Nem por isso! 
Mas mesmo sem ele 
Era feliz! 
Lembro às vezes… 
A sua gargalhada 
É parecida à do Dinis. 

Tomás Santos 
EB Câmara
3º ano



Faça lá um poema

Os sonhos 

Os sonhos são como histórias
que nós imaginamos enquanto dormimos
podem ser bons e maus 
mas quando relembramos choramos 
mas a maior parte das vezes só rimos.

São como entrar num mundo imaginário
com coisas impossíveis de acontecer,
como unicórnios ou fadas
coisas que na realidade não conseguimos ver.

Também há quem sonhe acordado
de olhos abertos até
com coisas imaginárias
ou com coisas possíveis 
como o sol e a maré.

Eu adoro sonhar 
acordada ou a dormir
porque quando sonho 
a minha imaginação vai até onde quer ir.

Mariana Marques, 6ºB

Faça lá um poema

Não consigo…

Não consigo olhar mais para a tua cara
Pois não consigo ver um sorriso brilhante e divertido para mim,
E um sorriso tão ou mais brilhante para outra pessoa.


Não consigo olhar mais para a tua cara
Pois cada vez que o faço vejo alegria, amor, carinho
E de repente uma tristeza imensa na qual não existe fim.


Não consigo olhar mais para a tua cara
Porque cada vez que o faço sinto milhares de facas a atravessarem o meu
Coração deixando-me cheia de dor, tristeza e agonia.


Não consigo olhar mais para a tua cara
Pois não consigo ver o homem que amo
Com uma pessoa egoísta e que não olha a meios  para atingir os fins.


                Maria Inês Cavaco Alfaiate

                        Nº14    6ºB

Qualquer um pode ser mágico


Eu gostava de ser mágica
Para poder fazer magia
Só não sei é até
Onde é que eu iria.

Eu gostava de tirar um coelho
Da cartola e de o fazer saltar
E também gostava de fazer
As pombas voar.

Eu gostava de usar a varinha
de poder fazer magia
eu sabia que era capaz
nunca desistiria.

Eu gostava de fazer coisas voar
também gostava de 
saber hipnotizar
mas o meu desejo é descobrir a verdade.

Ser mágico não é só
fazer magia é trazer à 
realidade coisas que
ninguém imaginaria.

Margarida Alves  6ºD nº19

Faça lá um poema

VIVER
Viver é ser amigo de todos
Viver é ajudar quem precisa
Viver é destruir o ódio e construir a amizade
Viver é lutar por um mundo melhor

Viver é ter quem goste de nós
Viver é ter coração
Viver é ter quem nos proteja
Viver é criar amigos pelo mundo inteiro!


Gonçalo Sampaio Bárias-Nº5-6ºB 

Faça lá um poema

O jogo de futebol

Lá estava eu,
Na bancada sentado,
À espera do golo,
Completamente desnorteado.

Ai de mim,
Tão nervoso,
Mas o meu pai,
Estava em repouso.

Lá estava o jogador,
Com a bola no pé,
Parecia consciente,
Do seu pontapé.

É golo, é golo,
Gritava o estádio,
Com aquele remate,
Ficava audível o rádio.

Ouvi três apitos,
Nem podia acreditar,
Vencedores de lá saímos,

Com tudo a festejar.

Vasco Cabecinha, 6ºD

Faça lá um poema

Porquê? Porquê?

Porque é que o Sol é amarelo?
Porque é que o céu é belo?
Porque é que a professora está abatida?
Porque é que o caminho é de terra batida?

As respostas estão para lá do mundo,
Enterradas lá bem no fundo.

Porque é que a professora acaba sempre aos berros?
Será que é porque eu dou muitos erros?
Porque é que eu tenho um tão bom horário?
Porque é que caiu a porta do armário?

As respostas estão para lá das estrelas,
Enterradas bem perto delas.

Se alguma vez encontrares
Uma resposta voando pelos ares,
Apanha-a e guarda-a
Para a geração de amanhã
Ficar a saber, com certeza,
Que uma resposta é a verdadeira beleza.


Nuno Abreu 6ºD

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A BE celebrou o dia dos afetos na sexta-feira de Carnaval




















         Os alunos do 2º ciclo leram «TODAS AS CARTAS DE AMOR SÃO RIDÍCULAS» de Fernando Pessoa e os alunos do 3º ciclo ouviram com muita atenção.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

A higiene oral na BE, há um rastreio e cheques-dentistas para os alunos do 8º ano



O 9º E vai participar num projeto da Lupa: Livro livre

          O Livro Livre é uma outra forma de comemorar os 40 anos do 25 de Abril dando a conhecer a crianças e jovens este marco da História de Portugal e o seu legado. Celebra os direitos e as liberdades fundamentais consagrados na Constituição de 1976 como a sua principal herança e destaca a responsabilidade do que é viver em democracia. Tomando como referência este momento de conquista histórica, fruto da luta e do trabalho de muitos, militares e civis, o Livro Livre apela ao espírito da liberdade e convoca o leitor a participar numa atividade criativa, como co-autor do livro. Desafia-o a resgatar as memórias de quem viveu este período e registar estas experiências. Através de breves enquadramentos históricos, ilustrações sugestivas e propostas de atividade diversificadas, este livro constrói um espaço para a reflexão sobre o significado do 25 de Abril. 

Ainda há livros disponíveis na nossa BE!


Um encontro inesquecível, Danuta e Joana Paz com as turmas de 5º ano

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Notícias RBEV: Projeto «Nós na BE, porque ler faz a diferença»


     No contexto do projeto «Nós na BE, porque ler faz a diferença», projeto selecionado no âmbito do concurso «Todos juntos podemos ler», lançado pela RBE, as bibliotecas do Agrupamento de Escolas nº 2 de Évora e a Equipa de Educação Especial promoveram a realização de um workshop na área das literacias digitais.

Encontro com a escritora Manuela Castro Neves na EB Heróis do Ultramar


segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Na organização da aplicação da 2ª fase do projecto AVES, vão ser aplicados questionários aos aluno sobre determinados aspectos da vida da escola.

Danuta Wojciechowska e Joana Paz, convidadas da BE


Nasceu no Québec, Canadá, em 1960. É formada em Design de Comunicação em Zurique e em Educação pela Arte em Inglaterra. Vive e trabalha em Lisboa desde 1984, onde dirige o atelier Lupa Design. Dinamiza oficinas de ilustração para adultos, jovens e crianças que promovem a criatividade e a literacia visual ligado ao livro infantil. Recebeu o Prémio Nacional de Ilustração de 2003. Em 2004 foi a candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen e recebeu o prémio para o melhor livro ilustrado da FIBDA. No mesmo ano as suas ilustrações foram seleccionadas para a exposição internacional da Feira do Livro para Crianças de Bolonha. Em 2008/09 participou na exposição de ilustração portuguesa «ilustrações.pt».



in http://www.saidadeemergencia.com/autor/danuta-wojciechowska/



Joana Paz

Designer, ilustradora,fã de ioga , vegetariana (*vegan wannabe), em processo de aprendizagem de  «Flamenco Guitar», ótima na sua relação com as pessoas, com uma atitude positiva, bem disposta. Apaixonada pelas artes em todas as suas formas de expressão.
Atualmente trabalha num pequeno estúdio em Lisboa,www.lupadesign.pt 


in https://www.behance.net/joanapaz